Entrevista: Gravidez na adolescência

Uma das piores surpresas que uma adolescente pode ter na vida é descobrir que está gravida, descobre da noite para o dia que, por um descuido e sem planejamento algum, vai ser mãe.

O Gazeta em Foco conversou com Natacha Simões, que tem 17 anos e descobriu que está gravida a 3 semanas, e ela nos contou a dificuldade que está tendo para enfrentar a situação e principalmente contar a noticia para seus pais.

“Estou grávida há três semanas, quando converso com o meu namorado ele sempre fala que vamos morar juntos, mas, até agora, nada. Ele fala pra eu ter calma”, afirmou Natacha.

Outra adolescente declarou, “Não sei o que fazer da minha vida, como agir, atitude a ser tomada. Estou grávida e o pai da criança não está sem ai por eu estar gravida”.

A maternidade é uma benção, mas sem duvida uma responsabilidade imensa. E depoimentos como estes comprovam o desafio que muitas adolescentes tem enfrentado, por isso, deve ser na hora certa, com muita maturidade. A gravidez precoce pode causar muitos transtornos para uma garota.

Para esclarecermos algumas duvidas a respeito da gravidez na adolescência, o Gazeta em Foco, entrevistou a Psicóloga Alessandra Silva Rodrigues.

Alessandra fala os principais desafios que adolescentes enfrentam com uma gravidez, e o que devem ser feito pelas adolescente ao descobrirem uma gravidez indesejada.

 

Gaztea- A Gravidez na Adolescência: que factor está na sua origem, falta de informação ou falta de responsabilidade?

Alessandra- Eu não acredito na falta de informação, pois; senão todas, a maioria das adolescentes hoje em dia sabem que se tiverem uma relação sexual sem os cuidados necessários podem engravidar. Hoje em dia, a mídia fornece informação, nos postos de saúde distribuindo o preservativo, nas consultas com o ginecologista (que esta ao acesso de todas), o que acontece na maioria dos casos é que *elas imaginam que isso jamais irá acontecer com elas, só acontece com as outras*.

 

Gazeta- O que pensa da criação da disciplina de Educação Sexual nas escolas?

Alessandra- Desde que seguida e orientada corretamente, eu acho uma boa ideia. Não podemos tratar como sendo uma disciplina irá tratar apenas de prazer e sobre a vida, mas uma disciplina ministrada com professores que sintam-se a vontade para passar este tipo de informação , e que irá mostrar a realidade por mais dolorida que seja, trazendo informações  que auxiliem e de suporte aos adolescentes, fazendo com que venham refletir no caso de uma gravidez indesejada, gravidez concebida precocemente , doenças sexualmente transmissíveis entre outros.

 

Gazeta- Já deu apoio psicológico a uma grávida adolescente?

Alessandra- Sim, e não foi nada fácil. É uma mistura de sentimentos por parte delas e falta de compreensão e dialogo por parte dos pais.

 

Gazeta- O que é que geralmente mais incomoda as grávidas adolescentes: a reacção dos pais, do companheiro, medo da mudança do corpo ou outros?

Alessandra- A gravidez na adolescência não é nada fácil, porque por mais que algumas adolescentes se preocupem com a criança, ela também querem e estão na fase de aproveitar. Percebo que existe um medo de tudo… pais, companheiro, corpo, enfim, mas pelas minhas  experiências, o medo da reação dos pais é tudo para essas adolescentes, por isso que neste momento o dialogo entre pais e filhos  é muito importante.

 

Gazeta-  Visto que agora o aborto é legal, já lhe sucedeu ter jovens a perguntar sobre esse método de interrupção da gravidez?

Alessandra- Até o momento não, eu acredito que irão recorrer a outro tipo de ajuda, até mesmo pelo medo se serem reconhecidas.

 

Gazeta- Acha possível as mães adolescentes serem bem sucedidas?

Alessandra- Com certeza, como mencionei anteriormente, o dialogo entre pais e filhos neste momento é muito importante, será esse acolhimento , esse suporte familiar que ajudará essa adolescente a superar medos, confusões e vencer essa fase, fazendo com que a vida não estacione, o que aparentemente isso não acontece em famílias menos favorecidas.

 

Gazeta-  Na maior parte dos casos o pai da criança assume o filho ou não?

Alessandra– Na maioria das vezes assumem, porem sem maturidade psicológica, e falta de planejamento.

 

Gazeta- Gostaria de deixar alguma mensagem?

Alessandra- A Gravidez na adolescência é uma realidade que nos faz refletir e tentar compreende-la.

Nos adultos, pais, autoridades, professores, sociedade, precisamos unir forças e fazer algo a fim de mudar essa dinâmica. Precisamos juntos, tomar medidas cautelosas e sem duvida nos responsabilizarmos por essa verdade, devemos cuidar das nossas meninas e meninos.

 

Alessandra dá algumas dicas importantes a ser seguida após a descoberta da gravidez, ela ressalta a importância do apoio dos pais e as principais dificuldade que provavelmente possa surgir com a descoberta da gravidez, e, por ultimo ressalta a importância da prevenção.

 

A BARRIGA VAI CRESCER

Não adianta esconder por muito tempo, o seu corpo vai mostrar que você está grávida. Tudo bem que resolva contar primeiro para a sua melhor amiga mas como não dá pra voltar atrás, abrir o jogo logo com a sua família é a solução.

 

APOIO DA FAMÍLIA

Quando der a notícia, seus pais podem não aceitar a situação numa boa. Pense: se, pra você, a notícia caiu como uma bomba, imagina para eles? Você precisa ter paciência e, aos poucos, convencê-los do quanto o apoio deles será fundamental neste momento. Assuma que errou e que está disposta a mudar de atitude daqui pra frente.

 

CADÊ O PAI?

Além das fofocas na escola ou no trabalho, das cobranças familiares, dos deveres de uma futura mãe, você ainda precisa encarar o futuro pai do seu filho. Se ele é seu namorado e, mesmo com a pouca idade, vai assumir essa gravidez com você, ótimo. Esse apoio também é muito importante. Mas, se a relação entre vocês era bastante instável e sem compromisso, o garoto pode, simplesmente, sumir e deixar que você cuide de tudo sozinha.

 

A FAMÍLIA DELE…

Isso sem contar que você pode ainda escutar besteiras dos parentes dele, dizendo que você foi interesseira, oportunista, criança, irresponsável, etc.

 

DE FILHA A DONA DE CASA

No caso de resolverem se casar ou morar juntos, os problemas virão quando você, que tinha uma vida tranquila, só ajudava sua mãe nas tarefas da casa perceber que, agora, será a responsável por tudo. Tarefa nada fácil, já que você vai precisar amadurecer na marra!

 

O QUE FAZER?

Depois que o fato está consumado, não tem outro jeito. Você precisa assumir esse filho, seja como for. Pense que ele não tem culpa de nada e merece o seu carinho.

 

CUIDE-SE!

Fazer o pré-natal (acompanhamento médico durante os 9 meses da gestação) é fundamental para a sua saúde e para a do bebê. Procure um Posto de Saúde mais próximo da sua casa e siga as orientações médicas.

 

PREVENÇÃO É TUDO!

Você, muitas vezes, pode pensar que a camisinha é um mero detalhe, né? Mas não é. Ela, além de evitar uma gravidez indesejada e todos os problemas que citei nesta entrevista, protege contra as Doenças Sexualmente Transmissíveis (DSTs). Então, se decidir transar, exija que o seu namorado, ficante ou rolo use camisinha sempre. Lembre-se: numa gravidez precoce e não desejada, quem sofre as piores consequências é você!

 




Comments on Facebook